Fora de evento do Clima quando Amazônia pega fogo, Rui Costa mostra que candidatura presidencial é para boi dormir

Governador Rui Costa deixa evento sobre o Clima em Salvador e baboseiras de Bolsonaro passarem em branco.

Se ainda havia alguma dúvida entre incautos de que não passa de simples marola destinada a fortalecer sua candidatura ao Senado em 2022 a idéia de que o governador Rui Costa é presidenciável no PT, a Semana do Clima em Salvador, que se encerra hoje, a dissipou de vez.
No momento em que o mundo cai de pau em cima de Jair Bolsonaro (PT) por causa de suas perigosas sandices relativas ao meio-ambiente, Rui não foi nem mandou representante para o evento em que o ministro Ricardo Salles, pau mandado do presidente para a área ambiental, vaiado, teve que sair às carreiras do encontro.
Duas versões não-oficiais circulam sobre a ausência do governo estadual no evento. A primeira é de que não compareceram porque o Seminário é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, que teve que suar para realizá-lo quando a disposição do governo Bolsonaro, avesso ao meio-ambiente, era não deixar mais que acontecesse.
Portanto, se trataria de um evento promovido por um adversário político a quem não caberia prestigiar. A segunda, mais ácida, é a de que o governo do Estado passaria um vexame no encontro simplesmente por não ter o que mostrar. Exemplo apontado pelos críticos: há sete anos não se reúne o fórum baiano de mudanças climáticas.
Também até hoje ninguém sabe onde foi parar o plano de fazer um inventário de emissões de gases de efeito estufa na região metropolitana. São acusações que o secretário estadual de Meio Ambiente ou algum representante de órgãos congêneres do Estado, se lá tivessem aparecido, poderiam ter esclarecido ou desmentido.
Enquanto Rui Costa lá não deu as caras, ACM Neto (DEM), naturalmente, usou e abusou da imagem de prefeito verde que, como ele mesmo destacou entre as inúmeras entrevistas que concedeu, gosta do meio-ambiente e defende sua preservação como patrimônio para o mundo.
Sobre o presidente da República, para quem as queimadas na Amazônia são promovidas pelos defensores da floresta, disse que o presidente ‘fala o que pensa”, provavelmente querendo dizer o que todo mundo já sabe: que por trás da truculência do chefe da República está um ser humano ao qual faltam instrumentos básicos para o pensamento.
Está aí um papel a que o governador do Estado poderia se reservar, se quisesse mostrar a todos que gosta do meio-ambiente e que defende a Amazônia contra o presidente da República. Enfim, definitivamente, esqueçam: Rui Costa é, no máximo, candidato a senador daqui a quatro anos.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário