Com ‘dica’ do Planalto, governador do Acre pede a Macri avião contra incêndio

Governador do Acre, Gladson Cameli (PP)

O governador do Acre, Gladson Cameli (PP), começou a pedir ajuda a países sul-americanos para o combate às queimadas na Amazônia. Ele mandou ofícios a embaixadas e gabinetes de presidentes, entre eles o de Maurício Macri, da Argentina, a quem solicitou o empréstimo de um avião hidrante que integra o sistema nacional de combate ao fogo do país vizinho. Hoje, a Secretaria de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Nação Argentina ofereceu ajuda aos governos do Brasil e da Bolívia, num esforço externo de luta contra as mudanças climáticas e pela conservação da biodiversidade, compromisso assumido no Acordo de Paris, informou o governo Macri. Países europeus, como Irlanda e França, ameaçaram bloquear o Acordo do Mercosul com a União Europeia por causa do avanço das queimadas florestais na Amazônia, alegando que o Brasil descumpriu compromissos assumidos. O acordo entre os blocos é um trunfo da política externa alinhada de Macri e Bolsonaro. Há temor de prejuízo ao agronegócio sul-americano diante do lobby dos produtores rurais europeus. A dica de pedir o avião, segundo o governador, veio da Casa Civil da Presidência da República. “A Argentina tem uma aeronave que tem o papel de bombeiro, quem comentou comigo foi a equipe do presidente. Se conseguirem mandar para nós, tanto para Acre, Amazonas e Rondônia, vai ser de extrema importância, vai facilitar nosso trabalho”, disse Cameli. Cameli disse que vai tratar de ajuda e da situação das florestas com o presidente peruano, Martín Vizcarra, em audiência no dia 3 de setembro e que não descarta nem auxílio oferecido pelo regime chavista de Nicolás Maduro, na Venezuela. “Eu aceito tudo que venha de benefício para que a gente possa coibir essa situação de nossas florestas, o céu será o limite”.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário