Após criticar Nordeste, Bolsonaro retorna à Bahia em menos de 15 dias


Após criticar o Nordeste, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), como forma de reverter o cenário que já não era bom, lança ofensiva. Em menos de 15 dias, ele entrega a segunda obra na Bahia. Dessa vez, acompanhado do ministro de Minas e Energia, almirante Bento Costa Lima Leite, e do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, inaugura a primeira etapa da Usina Solar Fotovoltaica Flutuante, no reservatório de Sobradinho. Autoridades do governo estadual também são esperadas, conforme cita a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf)em nota.
Trata-se do maior projeto de Pesquisa & Desenvolvimento desse tipo de tecnologia flutuante no País, em reservatório de hidrelétrica.Com capacidade instalada de 1 Megawatt pico (MWp), a Usina Solar Fotovoltaica Flutuante entrará em operação, tendo a perspectiva de que o valor integral de investimento totalizará R$ 55 milhões. O projeto integra o Centro de Referência em Energia Solar de Petrolina (Cresp), que já implantou planta fotovoltaica (em terra) de 2,5 MWp. O Cresp tem uma carteira de projetos a serem implantados que somam cerca de R$ 200 milhões (incluindo a Usina Fotovoltaica Flutuante).
No dia 23, o presidente participou da inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, ocasião que protagonizou uma nova polêmica com o governador Rui Costa (PT), presidente do Consórcio Nordeste. Os governos federal e estadual travaram umaguerra pela paternidade da obra e, ao final, Rui sequer compareceu ao ato por conta, conforme ele justificou, da imposição do número de pessoas pelo Palácio do Planalto. Na ocasião, Rui gravou um vídeo nas redes sociais para dizer que o evento se transformou em uma “convenção político-partidária” e que ele não seria conivente com isso. “Não posso participar de um evento em que o povo não tenha acesso”, disse.
Contudo, apesar da queda-de-braço instalada, em especial com o governadores da região, aos quais ele rotulou de “governadores de Paraíba” e o pior seria o do Piauí, Flávio Dino, informações dão conta de que o Chefe da Nação teria como meta elevar sua popularidade no Nordeste, onde registra as piores avaliações – para 40% dos nordestinos, o governo é ruim ou péssimo, conforme o Ibope.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário