Em dois anos, Arena Fonte Nova movimenta R$ 845 milhões

O estudo do impacto econômico da Arena Fonte Nova para o estado da Bahia, realizado pelo Instituto Miguel Calmon (IMIC), foi apresentado no auditório da Associação Comercial da Bahia, na noite de quinta-feira (30). A concessão do equipamento, viabilizada pela Parceria Público-Privada (PPP) entre o Governo do Estado e Arena, foi responsável pela movimentação de R$ 845 milhões, somente no biênio 2017/2018. Presente no evento, o secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Davidson Magalhães, destacou o acerto do Estado em fazer a parceria e o caráter transparente do acordo. “Salvador é uma cidade de serviços, e esse estudo demonstra que foi acertada a estratégia do governo baiano de ter aportado, via PPP, a instalação de um equipamento tão importante para as atividades de serviços e de turismo da capital, que têm reflexo para a economia de todo o estado”, afirmou. No estudo, que foi iniciado em outubro de 2018 e finalizado em março de 2019, foram contabilizadas receitas diretamente relacionadas à Arena, tais como bilheteria, vendas de bebidas e alimentos e patrocínio, além de indiretas, geradas, por exemplo, por shows nacionais e internacionais, refletidas no setor hoteleiro, de bares e restaurantes, transportes, dentre outros. O consultor do IMIC responsável pela pesquisa, o economista Pablo Souza, destacou que “o mercado que a Arena apoia foi identificado utilizando fontes como Salvador Destination, trade turístico e setor de transportes, expandindo o conceito utilizado anteriormente, que era da catraca para dentro. Shows, eventos de negócios, a Campus Party, tudo isso gerou grande movimentação”.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário