'Elas são um milagre nas nossas vidas', diz mãe de gêmeas siamesas separadas após cirurgia no DF

Elas são um milagre nas nossas vidas’, diz mãe de gêmeas siamesas separadas após cirurgia no DF

“Elas são um milagre nas nossas vidas.” A frase de Camila Vieira revela o alívio para uma história que começou há mais de um ano quando, ainda grávida, descobriu que esperava gêmeas siamesas.
A consultora é mãe de Mel e Lis que nasceram há 10 meses, unidas pela cabeça e, no último sábado (27), foram separadas em uma cirurgia inédita em Brasília. O procedimento durou mais de 20 horas e reuniu cerca de 50 profissionais.
Na segunda-feira (29), Camila contou que, no período de gestação, os médicos chegaram a cogitar um aborto.
“Colocaram pra gente a possibilidade de abortar, mas jamais eu iria abortar.”
Era madrugada de domingo (28) quando Camila e o marido Rodrigo Martins Aragão viram, pela primeira vez, as duas filhas separadas.
“Primeiro vimos a Mel na maca de cirurgia e já começamos a chorar. Eu pensei: gente, é uma boneca, não é minha filha. Não acreditei. Quando vimos a Lis é que a ficha caiu”, lembrou Camila.
As gêmeas Mel e Lis foram separadas depois de quase 11 meses, em cirurgia inédita no DF — Foto: Acervo Pessoal

Emoção da equipe

A separação das gêmeas também emocionou os médicos e a equipe. Parte do grupo acompanha Lis e Mel desde a gestação.
Mais de 50 profissionais participaram da cirurgia no Hospital da Criança de Brasília José de Alencar. Foi o primeiro procedimento do tipo no Distrito Federal, o terceiro no Brasil e o décimo no mundo.
“Tinha gente que depois da cirurgia não queria ir embora. Não tem como não se envolver”, conta o neurocirurgião que coordenou a operação, Benício Oton de Lima.
Cirurgia de separação das gêmeas no Hospital da Criança — Foto: Humberto Sousa/Divulgação

Agora todas as energias estão voltadas para a recuperação das pequenas pacientes. Segundo os médicos, os primeiros dias são os mais importantes para a recuperação.
“Elas não estão fora de risco porque quanto maior o tempo de cirurgia, maior também é o risco. Mas estão dando a resposta esperada”, explicou o cirurgião plástico Ricardo de Lauro.
Rodrigo Martins e Camila Vieira pais das gêmeas siamesas Lais e Mel, operadas em Brasília — Foto: Humberto Sousa/Divulgação

Os pais das gêmeas também estão com o olhar voltado para o futuro.

“O coração está muito apertado, mas estamos esperançosos de que vai dar tudo certo”, disse o pai das gêmeas.
Parte da equipe que fez a cirurgia e os pais das gêmeas Mel e Lis — Foto: Daumildo Júnior/G1

Planos para o futuro

Mel e Lis, estão na CTI. A equipe médica acredita que elas devem ficar internadas entre por, pelo menos, duas semanas. Mas Camila já tem planos.
“A gente quer colocar elas no carrinho e sair para passear, no shopping ou em um parque.”
A mãe sabe que para realizar os pequenos sonhos vai demorar um pouco, mas está confiante. Camila pediu que as pessoas continuem torcendo e rezando pelas bebês.
“Uma etapa foi vencida, agora vamos enfrentar as que ainda virão.”

fonte: g1
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia.

0 comentários:

Postar um comentário