Polícia Federal desmente Veja sobre rotina de Lula na prisão

A matéria que ilustra a capa da Revista Veja, veiculada no dia 4 de maio nas bancas do país, e que revelaria a rotina do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, foi desmentida em nota pelo órgão na noite da última sexta-feira (5). De acordo com o comunicado divulgado, o repórter Thiago Bronzatto, que assinou a matéria, não teve acesso a nenhuma área restrita do prédio após “Minucioso exame das imagens de circuito interno de segurança” e que “informações constantes na reportagem são equivocadas e imprecisas”. 
Após a veiculação da reportagem, o Partido dos Trabalhadores chegou a requerer uma convocação com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para explicar como um repórter da revista teria acesso ao ex-presidente em pleno cárcere, ferindo assim os direitos de Lula. “Expõe publicamente, de maneira sensacionalista, as condições internas da prisão onde se encontra o presidente Lula, violando, indevidamente, sua intimidade”, afirmou a nota do partido. A revista Veja e a Editora Abril, responsável pela publicação, ainda não se manifestaram após o comunicado da Polícia Federal desmentindo o acesso do repórter.

Confira a nota da Polícia Federal:

“Em relação à publicação da revista VEJA, em 04/05/2018, de matéria intitulada “A VIDA NO CÁRCERE”, assinada pelo jornalista Thiago Bronzatto, que trata da suposta rotina do Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência Regional da PF em Curitiba, esclarecemos que:

1. Minucioso exame das imagens de circuito interno de segurança permite verificar que o autor da matéria não teve acesso à área restrita ao Ex-Presidente.

2. Grande parte das informações constantes na reportagem são equivocadas e imprecisas. É absolutamente falso, por exemplo, que seja administrada insulina ao custodiado.

3. O jornalista esteve presente no edifício da Superintendência Regional recentemente, onde participou de uma reunião com um servidor que não possui relação com quaisquer procedimentos relacionados à custódia.

4. As circunstâncias que envolvem possível circulação do jornalista por outras alas do prédio, após a mencionada reunião, já estão sendo apuradas.

Comunicação Social da Polícia Federal no Estado do Paraná (BB)
Compartilhar no Google Plus

Sobre Bahia Extra

Melhor Site de Notícias da Bahia. Direção Erasmo Barbosa.

0 comentários:

Postar um comentário