Ibicaraí e Região

[Ibicaraí e Região][twocolumns]

Bastidores da Política

[Bastidores da Política][bleft]

LUDICIDADE: UM CAMINHO PARA RESSIGNIFICAR A PRÁTICA PEDAGÓGICA E O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL


PORTO, Suziane Guimarães Santos 1

RESUMO:

Esta pesquisa teve como objetivo analisar a importância da Ludicidade na aprendizagem e no desenvolvimento dos alunos da educação infantil, buscando identificar nos estudos analisados de que forma as atividades lúdicas auxiliam no aprendizado dessas crianças. Para tanto, foi adotada a pesquisa bibliográfica e documental. Para fundamentar esta pesquisa, baseou-se nas teorias dos seguintes autores; Luckesi (2002), Piaget (2003), Bonfim (2010), Pereira (2005), Richter (2006), e no documento legal Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil

(BRASIL, 1998), dentre outros que demonstram a necessidade da Ludicidade para o desenvolvimento da Criança da Educação Infantil. Os Autores citados oferecem uma melhor compreensão da definição de Ludicidade. Através dos estudos e pesquisas realizadas, observou- se que os jogos, as brincadeiras e os brinquedos têm uma importância fundamental e significativa no desenvolvimento integral das crianças da Educação Infantil, uma vez que as atividades lúdicas desenvolvem a concentração, a criatividade, as interações sociais, a comunicação e aprendizado cognitivo de forma prazerosa e significativa. PALAVRAS-CHAVE: Desenvolvimento da criança. Educação Infantil. Ludicidade.

INTRODUÇÃO

Este artigo se baseou em pesquisa bibliográfica e nas constatações feitas ao longo da minha experiência profissional, que forneceram subsídios para a análise realizada. Ao longo do artigo procuramos mostrar, através das reflexões, de que maneira a ludicidade, favorece o desenvolvimento integral das crianças da Educação Infantil.

Assim, segundo BARELA (1999) a ludicidade é uma das maneiras mais eficazes para envolver os alunos nas atividades, pois a brincadeira está intimamente ligada à criança. É muito importante aprender com alegria pois, enquanto se divertem, as crianças se conhecem, aprendem e descobrem o mundo. Portanto, de acordo com Santos (2007, p. 60) a ludicidade:

[...] é uma necessidade do ser humano em qualquer idade e não pode ser vista apenas como diversão. O desenvolvimento do aspecto lúdico facilita a aprendizagem, o desenvolvimento pessoal, social e cultural, colabora para uma boa saúde mental, prepara para um estado interior fértil, facilita os processos de socialização, comunicação, expressão e construção do conhecimento.

1 Mestranda em Ciências da Educação, Especialista em Educação Infantil, Especialista em Matemática
Financeira, Licenciada em Matemática pela FTC, Pedagoga - UESC . E-mail: suziane46@hotmail.com

Nesse contexto este artigo surgiu da necessidade de investigar a importância da ludicidade para o desenvolvimento da criança durante a infância, com o intuito de favorecer discussões que favoreçam a escola a resgatar brincadeiras que possam desenvolver a coordenação motora, o raciocínio, a criatividade e imaginação dos alunos, para que possam aprender e se desenvolver integralmente. Assim, a pesquisa buscou refletir sobre as contribuições das atividades lúdicas para o desenvolvimento e aprendizagem das crianças na Educação Infantil. Neste estudo, por sua vez, indaga-se: De que forma a ludicidade pode contribuir para o desenvolvimento e aprendizagem das crianças na Educação Infantil?

REFERENCIAL METODOLÓGICO

Esta pesquisa aborda a importância da ludicidade para o desenvolvimento dacriança durante a infância, e suscita discussões sobre a importância de resgatar brincadeiras que possam desenvolver a coordenação motora, o raciocínio, a criatividade e imaginação dos alunos, para que possam aprender e se desenvolver integralmente, ao trazer reflexão a cerca das contribuições da ludicidade para o desenvolvimento integral da criança da Educação Infantil, fazendo uso de algumas pesquisas já realizadas que evidenciam a eficácia de uma prática pedagógica que utiliza a ludicidade para auxiliar e promover o desenvolvimento físico e psicológico, ao mesmo tempo em que se constitui em um recurso estimulador e motivador da aprendizagem das crianças da Educação Infantil.

Para fundamentação teórica desta pesquisa, baseou-se nas teorias dos seguintes autores; Luckesi (2002), Piaget(2003), Bonfim (2010), Pereira (2005), Richter (2006), Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (RCNEI 1998), dentre outros que demonstram a necessidade da Ludicidade para o desenvolvimento da Criança da Educação Infantil. Os Autores citados, oferecem uma melhor compreensão da definição que venho dando para a Ludicidade em meus escritos. O presente Artigo contempla de forma sucinta por meio de pesquisa bibliográfica, o tema abordado. No que se refere a forma de abordagem do problema, ela será qualitativa, visto que considera que há uma relação dinâmica entre a Ludicidade e a criança, isto é, um vínculo indissociável entre o mundo objetivo e a subjetividade do sujeito que não pode ser traduzido em números. Ou seja, a interpretação dos fenômenos e a atribuição designificados são básicos no processo de pesquisa qualitativa. Objetiva-se proporcionar uma melhor compreensão acerca do estudo exposto. Para tanto, a estratégia de pesquisa
utilizada será a do levantamento bibliográfico utilizando-se do livro “Ludicidade e Educação Infantil, 2009 , autora Vera Lúcia da Encarnação Bacelar (Cap. 2, páginas 24- 29), utilizou-se como fonte de pesquisa à monografia de Elizangela Bueno Pedagogia, 2010, “Jogos e Brincadeiras na Educação Infantil: Ensinando de forma lúdica”.

Consultou-se a Monografia de Daniela Freitas Santos, “Ludicidade em sala de aula: Um caminho para o Desenvolvimento da criança”, porque auxilia o tema em foco. Segundo

Gill (1999, p. p.65),

A pesquisa bibliográfica é desenvolvida a partir de material já elaborado, constituindo principalmente de livros e artigos científicos. Embora e quase todos os estudos sejam exigidos algum tipo de trabalho, desta natureza, há pesquisas desenvolvidas exclusivamente a partir de fontes bibliográficas. Foi feito um levantamento bibliográfico, apoiando-se nos autores que defendem uma educação de qualidade e compromissada dentro, sobretudo, da Educação Infantil. Foram analisados os dados da pesquisa bibliográfica, a partir do questionamento central da pesquisa e com base nos autores pertinentes à temática de ludicidade. No processo de coleta de dados fizemos o uso de pesquisa documental, pois o artigo foi elaborado a partir do Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998).


A LUDICIDADE NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO INFANTIL

A Ludicidade na Educação Infantil é de fundamental importância para o desenvolvimento integral da criança. No entanto, é preciso ter bem definido o que é ludicidade e porquê é tão importante que aconteça nesta etapa educacional. Definir a LUDICIDADE hoje, principalmente no contexto da Educação Infantil, não tem sido uma tarefa fácil, tendo em vista que várias são as abordagens e estudos sobre o tema. Segundo Canda (2004): Uma possibilidade de conduzir as práticas educativas de maneira que o ensinar e o aprender se tornem ações interligadas é a ludicidade, aspecto fundamental ao desenvolvimento integral do ser humano. Isso lhe permite um maior acesso “ao campo de possibilidades para a  imaginação, a criatividade, o desenvolvimento cognitivo e corporal, o reconhecimento da identidade do aluno e a interação social” (CANDA, 2004, p. 128). Compartilhamos de algumas ideias de LUCKESI (2002), PIAGET(2003), BONFIM(2010), PEREIRA(2005),RICHTER (2006), (RCNEI) Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998), autores que defendem uma educação de qualidade e compromissada dentro, sobretudo, da Educação Infantil e que abordam a Ludicidade como um dos caminhos para o desenvolvimento da criança. O (RCNEI) Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998) destaca a importância de se valorizar atividades lúdicas na Educação Infantil, visto que “as crianças podem incorporar em suas brincadeiras conhecimentos que foram construindo”. Ainda se observa no (RCNEI) Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998) a valorização da ludicidade como instrumento facilitador da aprendizagem das crianças da Educação Infantil. É preciso esclarecer alguns equívocos que encontramos comumente no tocante a utilização da ludicidade.

No entanto, ainda se observa que quando se fala em LUDICIDADE, muitas das vezes ecoa, no fundo das expressões, pré-conceitos marcados pelas relações de desdém, de poder, de valores pejorativos na relação “trabalhar-seriedade X brincar-seriedade”. Precisa-se entender que esses conceitos não possuem fundamento, pois hoje se sabe que é através das ações, do fazer, pensar e brincar, que a criança da Educação Infantil vai construir seu conhecimento e desenvolver suas estruturas psíquicas para se relacionar com o mundo concreto. Nesse sentido, as atividades lúdicas são de suma importância para o desenvolvimento da chamada motricidade, do raciocínio por meio do faz-de- conta, utilizando sempre pelas crianças quando estão brincando. (BUENO, 2010). De acordo com Bueno (2010) e com as observações feitas no decorrer da minha prática pedagógica existe uma imagem pejorativa no tocante a aplicação da Ludicidade na sala de aula da Educação Infantil. Na maioria das vezes as pessoas concebem as atividades lúdicas como meros passatempos ou até mesmo como fonte apenas de lazer para criança e não como um instrumento que leva a criança a desenvolver-se integralmente em várias esferas da sua aprendizagem. Acredita-se que a ludicidade é de grande importância para as crianças, pois sem distinção de idade ou classe social, estas atividades lúdicas devem constar no contexto político pedagógico da escola. O lúdico compreende os jogos as brincadeiras e os próprios brinquedos, tanto as brincadeiras de antigamente, bem como as atuais, pois são de cunho educativo e auxiliam na aprendizagem dos alunos, assim como no convívio social. É com a interação que as crianças vão desenvolvendo suas criatividades e liberdades. (BUENO,2010).De acordo com Piaget (2003), o caráter educativo da atividade lúdica é visto como uma atividade formativa, que pressupõe o desenvolvimento integral do sujeito quer seja, na sua capacidade física, intelectual e moral, como também a constituição da individualidade, a formação do caráter e da personalidade de cada um. Enquanto que na fase dirigida há a presença das brincadeiras como atividades cujo objetivo específico é o de promover a aprendizagem de um determinado conceito, ou seja, além de serem marcados pela intencionalidade do educador. Compreende-se que é através de atividades lúdicas que a criança começa a se relacionar com as pessoas, que ela descobre o mundo, se desenvolve com o que ela aprendeu, a criança desenvolve com mais saúde, elimina o estresse, aumenta a criatividade e a sensibilidade, estimula a sociabilidade. Segundo FERREIRA, 2007: Brincar é um dos alimentos mais importantes da infância. Brincar é a atividade que permite que a criança desenvolva, desde os primeiros anos de vida, todo o potencial que tem. Acredito que é a brincadeira que faz a criança ser criança, viver a sua infância e se desenvolver integralmente. Segundo Bonfim (2010), mesmo prevalecendo, em várias práticas, a concepção utilitarista do lúdico, muitos estudos relevantes para a área têm apontado que a ludicidade é fundamental para o desenvolvimento integral do educando, ofertando à criança condições de criar relações com os objetos, com o mundo e com as pessoas que o cercam. Uma possibilidade de conduzir as práticas educativas de maneira que o ensinar e o aprender se tornem ações interligadas é a ludicidade, aspecto fundamental ao desenvolvimento integral do ser humano. Isso lhe permite um maior acesso “ao campo de possibilidades para a imaginação, a criatividade, o desenvolvimento cognitivo e corporal, o
reconhecimento da identidade do aluno e a interação social” (CANDA, 2004, p. 128). Comungo com o pensamento de Pereira (2005): As atividades lúdicas são muito mais que momentos divertidos ou simples passatempos e, sim, momentos de descoberta, construção e compreensão de si; estímulos à autonomia, à criatividade, à expressão pessoal. Dessa forma, possibilitam a aquisição e o desenvolvimento de aspectos importantes para a construção da aprendizagem. Possibilitam, ainda, que educadores e educandos se descubram, se integrem e encontrem novas formas de viver a educação (p. 19-20). A autora considera as atividades lúdicas como uma possibilidade de entrega que é perpassada pelos símbolos, sonhos, desejos, necessidades, dores e alegrias; uma integração conosco e com o outro, em uma troca tácita e significativa. Para que a Ludicidade seja inserida no contexto da Educação Infantil, é necessário uma prática pedagógica que conceba a criança como um ser que pertence a um contexto socioeconômico e cultural, possuidora de uma história de vida, que apresenta várias dimensões (psicomotora, cognitiva, afetiva e social) a serem desenvolvidas, e que, acima de tudo, são crianças. Por isso, na Educação Infantil, elas têm direito de se desenvolver em um ambiente que valorize o mundo da fantasia, da brincadeira, do movimento, do lúdico, no qual muito se aprende (RICHTER, 2006). No dia a dia das escolas de Educação Infantil é imprescindível que a Ludicidade esteja presente nas práticas pedagógicas dessas Instituições, mas para que isso ocorra é essencial que o Educador tenha conhecimento e reflita sobre a importância da mesma para o desenvolvimento das crianças. De acordo com SILVA (2011): A atuação do Professor da Educação Infantil deve está alimentada pela vivência lúdica, em que o professor se coloque pleno, inteiro no momento, alegre e flexível. Além de mediador e possibilitador das interações entre as crianças nas atividades lúdicas, o professor, ao dar espaço para as atividades lúdicas como atividade principal, possibilita a construção e a ampliação da criatividade, do aprendizado e, consequentemente, do desenvolvimento desta. Portanto, este trabalho investigará se por meio da Ludicidade é possível melhorar o desenvolvimento social, pessoal e cultural em qualquer fase da vida do homem, pois é de conhecimento geral que os jogos e brincadeiras fazem parte da vida de todos.

A IMPORTÂNCIA DA LUDICIDADE

No livro “Ludicidade e Educação Infantil, 2009 , a autora Vera Lúcia da Encarnação Bacelar (Cap. 2, páginas 24-29), propõe que a ludicidade é um fenômeno subjetivo que pode ser entendido através do auxilio da História, da Sociologia e da Antropologia Cultural. A pesquisa gira em torno de questões que pretendem entender como um educador pode se certificar de que crianças tenham vivido experiências lúdicas durante o aprendizado, utilizando-se de metodologia desenvolvida para testar a hipótese de que a leitura da linguagem psicocorporal pode ser o meio mais adequado de identificar os resultados. A autora busca, em sua pesquisa, identificar o estado de ludicidade em crianças, durante as suas aulas, através da linguagem psicocorporal. Para isso, delimita o conceito de ludicidade e expõe as ideias dos autores sobre odesenvolvimento infantil e linguagem psicocorporal que fundamentaram a sua pesquisa. No livro analisado a autora enfatiza que através da linguagem corporal das crianças, dá para analisar se esta vivenciou atividades lúdicas na escola ou não, subsidiando os educadores na identificação desse problema. Utilizou-se como fonte de pesquisa à monografia de Elizangela Bueno, 2010, “Jogos e Brincadeiras na Educação Infantil: Ensinando de forma lúdica”. A escolha da monografia supracitada é justamente porque discute a temática do presente artigo. O trabalho analisado trata da ludicidade na Educação Infantil e apresenta resultados de uma pesquisa qualitativa, cujo objetivo foi discutir sobre a importância do brincar no processo de desenvolvimento da criança, visando à construção do conhecimento através de brincadeiras, jogos e brinquedos. Foi feito um levantamento frente às possibilidades que a brincadeira desencadeia na construção e reconstrução dos conhecimentos, desse modo, contribuindo para levantar as contribuições da ludicidade no processo de ensino e aprendizagem. Observa-se na mesma que a ludicidade permite novas maneiras de ensinar. De acordo com BUENO (2010) a Ludicidade é um dos instrumentos que influenciam positivamente no desenvolvimento da criança, tanto cognitivo, quanto 
social, permitindo às crianças da Educação Infantil experimentar situações prazerosas e significativas no processo de aprendizagem. Segundo a autora, a Ludicidade não pode ser concebida como uma forma de divertimento, mas sim como meio que favorece o processo ensino-aprendizagem, contribuindo e enriquecendo o desenvolvimento integral das crianças, proporcionando às mesmas a construção do conhecimento de forma ativa, prazerosa e acima de tudo interessante, além de garantir a motivação das mesmas, condição necessária para uma boa aprendizagem. Consultou-se a Monografia de Daniela Freitas Santos, “Ludicidade em sala de aula: Um caminho para o Desenvolvimento da criança”, porque auxilia o tema em foco. A Monografia tem origem com pesquisa de campo e seus dados com análise qualitativa. Tem como objetivo estudar qual a importância da ludicidade e das atividades lúdicas na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, mostrando de que forma pode contribuir como facilitador da aprendizagem e do desenvolvimento das potencialidades afetiva, criativa, cognitiva e social da criança, bem como a importância da utilização no cotidiano escolar e principalmente em sala de aula, como fator de motivação no interesse do aluno em descobrir e aprender. A autora busca perceber como os autores tratam sobre o tema e refletem sobre a importância da ludicidade na construção da criatividade, autonomia e socialização da criança. Levantando ideias de como os professores trabalham a ludicidade no contexto de sala de aula, procurando perceber a aplicabilidade real no ambiente escolar, trazendo sugestões de atividades lúdicas que poderão ser trabalhadas em sala de aula, para contribuir no desenvolvimento de habilidades nos alunos. A autora observou em sua pesquisa que “Na educação infantil, compreende-se que a formação de toda criança é influenciada direta ou indiretamente por atividades lúdicas, pois na criança o ato do brincar é tão espontâneo que ela não se dá conta de que, através de suas brincadeiras, ela está adquirindo novos conhecimentos e habilidades, possibilitando seu crescimento sadio, pois através da brincadeira a criança se entrega, dedica, interage com o meio e com outras pessoas, assim tem maior possibilidade de comunicar, expressar e se tornar uma criança integralmente crítica e criativa. Com as análises realizadas nessa pesquisa percebeu-se que a ênfase da Ludicidade na Educação Infantil é um dos caminhos que possibilita o desenvolvimento Integral das crianças, evidenciando que a ludicidade melhora o desenvolvimento social, pessoal e cultural das crianças da Educação Infantil, favorecendo a comunicação e a socialização do individuo. É necessária uma análise dos benefícios de se utilizar a ludicidade no cotidiano da Educação Infantil, considerando a presença da mesma na prática pedagógica do Educador Infantil como fator indispensável para o desenvolvimento das crianças, tanto no aspecto motor, afetivo, emocional intelectual quanto no desenvolvimento das aprendizagens. Portanto, foi possível perceber a importância da ludicidade como um instrumento para o ensino de conteúdos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Através desta pesquisa levantou-se questões relevantes à prática da Ludicidade na Educação Infantil, bem como propiciou entendimento quanto à relevância de se empregar atividades lúdicas em sala de aula. Todavia, essa prática deve acontecer sempre com metas estabelecidas e discussão da importância da mesma na educação infantil, visto que permitem um desenvolvimento amplo. Através deste estudo buscou-se salientar a importância de trabalhar com a ludicidade, pois, a mesma faz parte do desenvolvimento integral da criança, além de propiciar o conhecimento de sua cultura. As atividades lúdicas em geral, favorecem o desenvolvimento da criança, desde que o professor as veja como um meio eficaz para mediar o processo de ensino – aprendizagem, tornando o ambiente escolar mais prazeroso, estimulante e motivador. O presente artigo vem analisar os efeitos positivos da ludicidade para o desenvolvimento infantil e estimulação do uso da ludicidade nas escolas de Educação Infantil, desde que sejam planejadas e com objetivos pré-determinados, no processo de aprendizagem, visto que estas proporcionam a criação de situações problemas que auxiliam o processo educativo por serem extremamente interessantes e envolventes tornando o ensino mais significativo para a criança. Considerando que esta abordagem proporciona resultados significativos na área educacional, no sentido de oportunizar ao pesquisador uma visão mais ampla no cotidiano escolar, além de produzir conhecimentos e contribuir para a transformação da realidade de cada estudante no processo educativo. 

REFERÊNCIAS BARELA, J. A. Aquisição de habilidades motoras: do inexperiente ao habilidoso. Motriz (Rio Claro), Rio Claro - SP, v. 5, n. 1, p. 53-57, 1999.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. - Características da investigação qualitativa. In:Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Porto Editora, 1994. p.47-51.

BONFIM, Patrícia Vieira. A criança de seis anos no ensino fundamental: uni-dunitê... corporeidade e ludicidade — mais que uma rima, um porquê. 2010. 153 p.

BRASIL. Ministério da Educação e Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.Referencial curricular nacional para educação infantil/Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasilia: Mec/Sef, 1998.

BUENO, Elizangela. Jogos e brincadeiras na Educação Infantil: ensinando de forma lúdica. 42 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia). Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 2010.

CANDA, Cilene Nascimento. Aprender e brincar é só começar. In: PORTO, Bernadete de Souza (Org.). Educação e ludicidade. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Gepel, 2004. p 123-140. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação Processos Socioeducativos e Práticas Escolares. Departamento de Ciências da Educação. Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei, 2010.

FERREIRA, Talita Scarano da Silva. O aprendizado através dos jogos e brincadeiras na Educação Infantil. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialista em Educação Infantil e Desenvolvimento). Universidade Cândido Mendes. Rio de Janeiro, 2007. GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

LUCKESI, Cipriano. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. In: PORTO, Bernadete de Souza (org.). Ludicidade: o que é  mesmo isso? Salvador: Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Gepel, 2002, p. 22-60.

PEREIRA, Lucia Helena Pena.Bioexpressão: a caminho de uma educação lúdica para a formação de educadores, 2005, 388p. Tese (doutorado) Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

PIAGET, J. A construção do real na criança. 3ª ed. 5ª reimpressão. São Paulo: Ática 2003.

RICHTER, Leonice Matilde. Movimento corporal da criança na educação infantil: expressão, comunicação e interação. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de 
Uberlândia, 2006.

SANTOS, Daniela Freitas. Ludicidade em sala de aula: um caminho para odesenvolvimento da criança. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia). Universidade do Estado da Bahia. Salvador, 2009. 

SANTOS, Marli dos Santos (org). O lúdico na formação de educador. Petrópolis, Rio de Janeiro, 2007.
 
Poste um Comentário
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

No comments :


Geral

[Geral][twocolumns]

.

.

Esporte

[Esporte][bleft]

Eventos

[Eventos][twocolumns]

Jurídicas

[Jurídicas][bleft]